fbpx
Bem-vindo a Digital Certificadora!
Certificado digital A1 vencido: como excluir?

Como muitos dos documentos que temos, os certificados digitais também têm data de validade. Porém, esse tempo varia de acordo com cada tipo de certificado. Caso você faça uso frequente ou não de certificados digitais, tê-los vencidos talvez não seja a melhor escolha. 

Neste artigo, vamos te mostrar como excluir seu certificado digital A1, além de te explicar porque não manter um certificado vencido com você. Vamos lá?

Como remover o certificado digital do computador?

Primeira opção:

Adquiriu seu certificado digital, mas ao acessar algum sistema, acontece um erro na comunicação. Identificou-se essa situação? Calma, basta remover o certificado digital expirado do navegador. 

Vamos ao passado a passo, que é feito pelo navegador, no caso de certificado A1.

  1. Aperte a tecla do Windows no teclado (ao lado do ALT esquerdo) e digite “opções”.
  2. No resultado da pesquisa, clique em “Opções da Internet”.
  3. Com a janela “Opções da Internet” aberta, clique na aba “Conteúdo” e, em seguida, em “Certificados”.
  4. Selecione o certificado que gostaria de remover – para ter certeza quanto a data de expiração, clique duas vezes em cima do certificado em questão.
  5. Clique em “Remover”.

Segunda opção:

A exclusão no Windows é feita diretamente no registro e não precisa de navegador. Para executar essa ação é preciso acessar o gerenciador de certificados do Windows. Siga esse passo a passo:

  1. Pressione a tecla do Windows no teclado (ao lado do ALT esquerdo) e a tecla da letra “R”, simultaneamente.
  2. Você verá a janela “Executar”. Digite o comando “certmgr.msc” e aperte a tecla “Enter” em seu teclado.
  3. O Gerenciador de Certificados será aberto. Clique em “Pessoal” e, depois, em “Certificados”.
  4. Clique sobre o certificado vencido e, depois, no X vermelho no topo da tela. Se preferir, pressione a tecla “Delete” do teclado.

Posso excluir os certificados que já estão com a data vencida?

Sim! Não só pode, como deve. O principal ponto para removê-los é que, ao vencer, o certificado se torna inutilizável e pode gerar conflitos, como citamos

Além disso, um certificado vencido pode atrapalhar e gerar erros de acesso a sistemas que utilizam o certificado digital como forma de login.

Por isso, fique atento à data de vencimento dos seus certificados digitais e entre em contato com uma empresa responsável e capacitada para fazer a renovação.

Não marque bobeira com seu certificado vencido por aí! Para renovar o seu certificado, entre diretamente em contato conosco, uma certificadora credenciada e autorizada para emitir e renovar certificados digitais no Brasil.

Tenha um atendimento humanizado e um suporte eficaz. Acesse nosso site e faça tudo sem sair de casa.

8 dúvidas sobre certificado digital respondidas

Muito se ouve falar em certificação digital, mas esse assunto ainda gera muitas dúvidas. As questões a serem esclarecidas começam pela definição de certificado digital. Uma boa parcela das pessoas e empresas que procuram pelo certificado pensam que é algo burocrático e para cumprir obrigatoriedades, apenas. Porém, entender do que se trata, realmente abre diversas possibilidades. 

Depois de esclarecida essa questão inicial, as pessoas têm outras dúvidas bastante comuns. Este artigo foi escrito para te ajudar a entender os pontos básicos. Fique com a gente até o final e saia com bastante informação útil!

1. O que é certificado digital? 

Certificado digital é a identidade eletrônica de pessoas e empresas. Equivale ao CPF e ao CNPJ. Alguns o definem como um documento que viabiliza a assinatura de contratos a distância, com o mesmo valor de uma assinatura a próprio punho reconhecida em cartório. O certificado tem esse benefício, mas ele vai muito além de validar contratos on-line.

De forma obrigatória ou opcional, o certificado digital é instrumento de acesso a diversos serviços. Mesmo quando não é necessário devido a alguma norma, facilita a realização de vários trâmites, dá celeridade e aumenta a segurança das transações, graças a uma criptografia avançada. Outros benefícios são a economia de tempo e com taxas cartoriais, além de sustentabilidade. 

2. Fazer um certificado digital é burocrático? 

Existem normas de segurança para serem cumpridas. Essas regras buscam garantir a segurança do próprio cidadão.

Há certificados que podem ser emitidos e renovados por videoconferência, sem que a pessoa precise sair de casa ou do escritório. É possível emitir tanto o e-CPF quanto e-CNPJ de forma remota. Além de não precisar ir a um local físico, os Agentes de Registro (AGRs) são verdadeiros guias para o cliente. Prezamos muito pelo atendimento de excelência. 

3. Todas as empresas são obrigadas a ter certificado digital? 

Nem todas, mas a maioria. São elas: 

– Empresas que geram NFe (há uma exceção)

A geração de nota fiscal eletrônica (NFe) só pode ser realizada com certificado digital. A exceção são alguns Microempreendedores Individuais (MEIs). A legislação sobre NFes é municipal para prestadores de serviços, e estadual para comércio e serviços de transportes. Cada entidade envolvida define as normas para que os Microempreendedores Individuais tenham facilidade na emissão de notas fiscais. Assim, em algumas localidades o certificado digital é obrigatório para MEIs, e em outras, não. 

– Empresas com empregados (com exceções)

Apenas MEIs e pessoas físicas conseguem acessar o eSocial sem o certificado digital. Porém, sem o certificado, o envio de informações é feito de forma manual, o que demanda mais tempo. Dessa forma, todas as empresas com trabalhadores no regime CLT precisam do certificado para realizar envio de informações ao eSocial. Dependendo do porte da empresa, o volume de informações é maior, e o certificado digital ajuda a diminuir consideravelmente o tempo gasto com essa tarefa. O uso do certificado também agrega uma camada a mais de segurança para cumprimento das obrigatoriedades dos empregadores. 

– Companhias modernas, que desejam mais produtividade e segurança

E mesmo de forma opcional, o certificado digital será um facilitador no dia a dia das empresas, além de trazer benefícios, como desburocratização dos processos, sustentabilidade e até economia, já que um documento validado com certificado digital dispensa os trâmites em cartório. Consequentemente, não é necessário arcar com as taxas de autenticação desses serviços. 

4. Quando pessoas físicas precisam ter certificado?

Em algumas situações pontuais o certificado digital é obrigatório para pessoas físicas. É preciso consultar a legislação. Em Minas Gerais, por exemplo, o documento é pré-requisito para abertura de empresas na Junta Comercial do estado. 

Porém, o certificado é um facilitador e blinda quem o utiliza de fraudes. Por isso, mesmo de forma opcional, considere emitir um. 

Ele deve ser entendido como um investimento. Economiza-se tempo e valores com taxas, além de deslocamento para vários trâmites. É mais seguro, econômico e ágil. Dessa forma, o certificado torna-se necessário para a pessoa física também.

5. É possível usar o certificado pelo celular?

Sim, desde que seja o certificado em nuvem, pois ele é armazenado na cloud e viabiliza o acesso mobile. O certificado em nuvem é o Bird ID.

Os certificados A1 são armazenados no computador e o A3 em um smartcard ou token, o que inviabiliza usá-lo pelo celular. 

6. O que pode invalidar um certificado digital?

Para todos os tipos de certificados digitais, deixar de renovar em tempo hábil torna o documento inválido. Por isso, é preciso muita atenção para a data de validade do certificado.

Invalidação certificado A1

Algumas ações invalidam a utilização do certificado digital A1. São elas: 

– Formatação do disco rígido. 

– Apagamento da chave primária. 

Invalidação certificado A3

– Perda do smartcard ou token. 

– Apagamento da chave primária. 

– Digitação do PIN incorreto em três tentativas e do PUK, em seguida. 

7. Por quanto tempo um certificado digital é válido? 

Depende do tipo de certificado. A validade varia de um ano, para certificados A1, até cinco, para o Bird-ID, certificado em nuvem. O A3 tem validade de um a três anos. 

Para aqueles que utilizam com frequência a identidade eletrônica, o indicado é optar por certificados com tempo maior de validade. 

8. Como saber se o certificado é verdadeiro?

Basta acessar o verificador de conformidade, desenvolvido pelo Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI).  Dessa forma, você garante que os documentos assinados ou procedimentos realizados com o certificado digital são válidos. 

Outras dúvidas 

Tem mais alguma dúvida sobre certificado digital? Nossos profissionais são especialistas, te ajudam a obter o certificado e dão orientações importantes para o uso dele.

Data de validade do certificado digital: como identificar e o que fazer quando expirar

Você sabia que existe uma data de validade do certificado digital? Essa característica também é um recurso de segurança. 

Dessa forma, qualquer tipo de certificado digital, tanto para pessoa física (e-CPF) quanto para pessoa jurídica (e-CNPJ), tem um prazo de validade, que varia de 12 a 60 meses. Por isso, é importante se atentar a como identificar se o certificado digital expirou e o que fazer para garantir sua renovação. 

É exatamente sobre isso que se trata este conteúdo. Continue acompanhando para saber como identificar a data de validade do seu certificado e o que fazer quando ele expirar.

Como verificar a data de validade do certificado digital?

Os documentos físicos como RG, CPF e CNPJ não possuem uma data de expiração, diferente do certificado digital. Essa data é necessária para estabelecer um prazo legal de funcionamento do certificado e, depois de expirado, é preciso renovar.

Outra razão da renovação do certificado é pelas prováveis alterações de tecnologia e nos dados ao longo do tempo, que podem estar desatualizadas.

Só é possível renovar ou verificar a data de validade de um certificado A1 pelo navegador. Isso porque ele é um arquivo eletrônico, geralmente com extensão .PFX ou .P12. Ele é instalado diretamente no computador do titular ou responsável legal da certificação.

Te mostramos o caminho simples para verificar se seu certificado está prestes a expirar:

1 Abra o navegador Google Chrome ou Mozilla;

2 Clique nos três pontinhos ao lado direito da tela, e escolha a opção “Configurações”

3 Escolha a opção “Privacidade e segurança”

4 Clique em “Segurança”

5 Selecione o botão “Gerenciar certificados”.

6 Esta caixa de diálogo será aberta, exibindo os dados do seu certificado digital. Nome, CPF, Autoridade Certificadora, e, é claro, a validade do seu certificado.

Enquanto isso, em um certificado A3 o registro dos dados fica em um token-USB ou smartcard, ou seja, em um suporte físico móvel.

Para verificar a validade do certificado A3, siga esses passo a passo:

  1. Insira o token ou cartão/leitora na entrada USB do computador;
  2. Vá até o menu iniciar e digite “Opções da Internet”;
  3. Clique em “Conteúdo” >“Certificados”;
  4. Verifique a validade do certificado na coluna “Data de validade”.

Qual a validade máxima de um certificado digital?

O tempo de validade de um certificado digital muda conforme o tipo, e depende do nível de segurança que o certificado digital apresenta.

Assim, para um certificado A1 a validade é de 12 meses, enquanto o A3 vai até 36 meses.

Já o Bird-ID, certificado em nuvem, tem validade estendida por até 5 anos.

Por que o certificado digital tem validade?

O prazo de validade funciona como um elemento de segurança dos certificados digitais. Como o mundo digital está em constante evolução, é comum que os padrões e normas do certificado sejam atualizados. 

Nesse sentido, o próprio Instituto Nacional da Tecnologia da Informação (ITI), autarquia que mantém a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil), está constantemente provendo essas atualizações.

Além disso, a necessidade de validação do certificado acontece pela mudança de dados da pessoa ou empresa contidos nele, fator que acaba alterando com o tempo. No caso de uma empresa, por exemplo, os nomes dos sócios podem mudar ou mesmo a duração do acordo entre as partes.

O que acontece se eu não renovar o certificado digital?

Quando isso acontece, os certificados são automaticamente cancelados e é preciso tirar um novo documento digital. 

Fazer a renovação do certificado digital é importante para que a empresa ou pessoa física continue a usufruir dos benefícios do documento. A renovação deve ser feita com pelo menos 30 dias de antecedência do vencimento. 

Por isso, é preciso estar atento ao prazo de validade do seu certificado. Esse tempo é necessário para resolver qualquer pendência que surja com a documentação da renovação do certificado digital.

A chamada para atualização deve ser feita diretamente com uma certificadora credenciada e autorizada para emitir e renovar certificados digitais no Brasil.

Você também pode renovar o seu conosco e ter um atendimento humanizado e um suporte eficaz. Acesse nosso site e faça tudo sem sair de casa.

Riscos tributários: quais são e como o certificado digital ajuda a evitá-los

Impostos assustam os brasileiros. No entanto, a sonegação para deixar de pagá-los ou omissão para pagar menos tem consequências piores, que podem levar até ao fechamento de negócios. 

Mas não é preciso temer os tributos e obrigações acessórias. O mais indicado é compreender como lidar com eles para que sua empresa cresça de forma sustentável e dentro da legalidade. E há formas mais fáceis de cumprir com tudo que os órgãos competentes exigem do empresário e cidadão brasileiro. O certificado digital facilita alguns processos e é obrigatório em outros. 

Neste artigo, vamos deixá-lo ciente das consequências graves de colocar sua empresa em risco tributário, a maneira correta de lidar com essa área e como tornar essas tarefas mais simples. Venha conosco!

Quais as consequências de expor a empresa a um risco tributário? 

Caso a Receita Federal constate crimes tributários na sua empresa ou impostos pessoais, há aplicação de multa, além da cobrança dos tributos atrasados com juros e multa. Para algumas empresas, o custo é tão alto que leva ao fechamento dos negócios. Ou, em casos menos complexos, os empresários precisam se desdobrar para conseguir arcar com suas responsabilidades. 

Em ações práticas, isso significa corte de gastos, funcionários e contração de outras dívidas para regularizar a parte tributária. Como o ditado prega, “o crime não compensa”. O que compensa é realizar um planejamento tributário, que pode ajudar a empresa a economizar e se organizar para arcar com suas obrigações. Falaremos mais sobre isso nos tópicos a seguir. 

Sonegação fiscal: principal problema

A prática que mais coloca as empresas em risco tributário é a sonegação fiscal. Deixar de declarar ou omitir informações para não pagar ou pagar menos impostos é um ato realizado de forma deliberada. 

Ou seja, as pessoas sabem que estão errando, mas sonegam impostos de forma consciente. O que significa economia em pouco tempo, pode se transformar em uma dívida e problemas maiores adiante. 

Obrigações acessórias

Deixar de realizar as obrigações acessórias também é sério e coloca sua empresa em risco tributário. Elas são necessárias para os órgãos competentes apurarem os impostos, contribuições e taxas, além de fazer a fiscalização.

Sabemos que são muitas burocracias. No entanto, deixar de passar por elas tem consequências e pode comprometer a saúde financeira de sua empresa. Os processos já estão sendo modernizados, muitos deles passaram a dar a opção de cumprir as obrigatoriedades com certificado digital. Em alguns casos, só é possível realizá-las com o documento. 

Fiscalização com inteligência artificial: mais precisa

O cruzamento de informações com uso da tecnologia está muito avançado e vai progredir continuamente. Dessa forma, é cada vez mais difícil não ser pego em uma sonegação ou qualquer outra prática irregular.

A dificuldade de pagar tributos é um indício de que o negócio deve ser repensado. Dessa forma, os impostos e todas as tarefas ligadas à gestão tributária precisam ser considerados para se pensar nas estratégias, orçamento, precificação e todos os outros pontos. 

Como evitar problemas tributários 

Para dar lucro, uma empresa precisa recolher impostos. De acordo com ele, a não observância fiscal pode levar ao fechamento de um negócio em pouco tempo. 

Realizar planejamento fiscal e tributário

Orientamos que você realize o planejamento tributário e fiscal desde a ideação do negócio. Dessa forma, você irá escolher o melhor regime tributário para que possa operar com segurança. Uma boa análise sobre as opções significa economia a longo prazo. Além de pagar um valor menor de impostos, você torna sua empresa mais sustentável, já que essa escolha reflete diretamente nos custos do negócio. 

Escolha um bom contador 

Questões tributárias e fiscais são complexas. Então, nada substitui um bom profissional para orientá-lo, seja na parte de planejamento, no pagamento de impostos ou no cumprimento de suas obrigações acessórias.  

Muita atenção ao escolher o profissional ou empresa de contabilidade. 

Seguir orientações contábeis

Além de escolher um bom contador ou empresa de contabilidade, siga as orientações. Ninguém melhor do que ele para te indicar os caminhos para te deixar longe de riscos tributários. 

É uma área muito específica para o empresário agir de acordo com a opinião dele. Se há dúvida, leve para o profissional contábil, mas tenha em mente que é ele quem detém experiência e conhecimento técnico na área. 

Não dê o jeitinho brasileiro 

A sonegação de impostos e descumprimentos das obrigações acessórias é tão deliberada por causa da cultura do jeitinho brasileiro. O melhor jeito de fazer algo não é da maneira mais ‘vantajosa’ e sim da maneira correta. 

Dessa forma, tenha como norma fazer as coisas do jeito certo e não do jeito fácil. A maioria das irregularidades tem graves consequências depois. 

Como o certificado ajuda a minimizar riscos tributários

A maioria das empresas só consegue emitir nota fiscal com um certificado digital. Há raras exceções de quem pode tirar NF sem o certificado. Existem outras obrigações acessórias que só podem ser cumpridas com o ele. Além da exigência, o certificado facilita o acesso aos canais dos órgãos públicos para o cumprimento das exigências legais, mesmo em casos opcionais. 

Também recomendamos que sejam outorgadas procurações para o seu contador ou contabilidade para que as burocracias possam ser realizadas da maneira mais facilitada possível. Em todos os casos, alguns procedimentos só podem ser realizados com certificado digital. 

O certificado digital ainda tem a vantagem de conferir maior segurança jurídica, facilitar assinatura de contratos a distância e agilizar uma série de atividades que demandariam pagamento de taxas, deslocamentos e outros. 

Se você ainda não tem o certificado digital ou precisa renovar o seu, nós podemos ajudá-lo.

Como o certificado digital (SSL) ajuda no ranqueamento do seu negócio no Google

Para ficar em primeiro lugar no Google, ou no top 10, o gigante das buscas analisa a segurança do site, além de vários outros fatores. O Secure Sockets Layer (SSL), o certificado digital para sites, também é fundamental em vários outros quesitos para o sucesso de um e-commerce, portal de notícias e muito mais. 

Neste artigo, te mostramos tudo sobre isso.

SSL: fator de ranqueamento desde 2014 

Em 2013, uma pesquisa da Pew Research Center revelou que 68% dos usuários não consideravam as leis de proteção de dados suficientes. Por isso, o Google definiu o protocolo “https”, que também pode ser representado por um cadeado do lado esquerdo da aba de URL, para maior privacidade e segurança dos internautas. Para adicionar os recursos, um certificado digital precisa ser instalado. É o SSL, disponível em certificadoras digitais.

Na época, o gigante das buscas afirmou que o peso de ter um SSL seria leve e que aumentaria a relevância do “https” com o passar dos anos. Hoje, com a evolução das vendas digitais e, no Brasil, com a Lei de Proteção de Dados (LGPD), a relevância do certificado digital para sites cresceu. Além disso, está interligado à performance nas buscas via Google.

Experiência do usuário melhor = site em melhor posição

Um site no qual há sinais de que a navegação é segura oferece melhor experiência para o usuário, foco do Google nos fatores de ranqueamento desde 2019. Naquele ano, o buscador passou pela maior atualização em relação às cinco revisões anteriores, com o algoritmo Google Bert. 

Para começar, quando o internauta tenta acessar um canal sem SSL há um alerta que pode fazer com que ele desista de visitar o site. 

No site sem “https”, caso o internauta prossiga com a visita, também é sinalizado que a navegação não é segura. 

Estar em portal com SSL também aumenta a confiança do internauta, por outro lado. 

Aumento de tempo de permanência e diminuição de rejeição

Métricas ligadas à retenção têm peso maior na avaliação do Google para o ranqueamento durante as pesquisas com o Google Bert. Isso porque é um sinal de que a experiência no site é boa. 

Um site com SSL tende a ter um tempo de permanência maior, já que a confiança de estar em um ambiente digital seguro faz com que a pessoa busque as informações com mais segurança naquele local. 

A taxa de rejeição, que consiste em sair do site sem navegar por ele, tende a diminuir, e isso é outra métrica importante para o Google. 

Tendência em aumentar páginas por sessão

Quanto mais páginas o internauta visitar, mais bem avaliado será seu site. Para navegar em várias áreas, ele precisa sentir confiança para permanecer. O certificado SSL é um dos primeiros sinais de que o portal não é malicioso.

Claro, apenas o “https” não é suficiente para o internauta navegar por várias páginas de um site ou blog. No entanto, é o primeiro ponto que impacta a experiência do usuário, já que há alertas sobre a ausência do recurso.

Métricas sem SSL são incompletas 

Ser citado por outros sites é excelente para a otimização do site. Isso consiste no link building, uma das práticas mais desafiadoras de otimização para buscas, já que outros sites precisam ver valor no seu conteúdo para referenciá-lo. 

O SSL demonstra para criadores de conteúdo que seu site é confiável e ainda te coloca em posições mais privilegiadas nas pesquisas. Facilita assim que redatores e gestores cheguem até seu site. Caso seu conteúdo seja bom, ele pode citar sua empresa e inserir um link nos materiais dele. 

No entanto, você não conseguirá monitorar se não tiver um SSL. Por questões técnicas, o Google não contabiliza o tráfego externo se seu portal não usar o “https”. 

Outras vantagens do SSL

Além de pontuar no fator de ranqueamento do Google e ajudar a melhorar métricas importantes para o buscador, o certificado SSL traz muitas outras vantagens. Ele também é obrigatório em algumas situações. 

Exigência da LGPD

Se o site coleta dados do usuário, tem formulários de contato ou realiza vendas, o certificado SSL é obrigatório. A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) exige o padrão “https”. Desrespeitar essa regra e outras da LGPD acarreta de advertência a multa, que pode chegar a R$50 milhões. 

Pré-requisito para integrar com cartão de crédito 

As maiores operadoras de cartões de crédito só integram seus sistemas a sites com certificado de segurança. Segundo uma pesquisa da Paypall, 80% dos internautas preferem cartões de crédito para pagarem suas compras on-line. Dessa forma, deixar de oferecer a opção é um fator que dificulta o fechamento de negócio e, consequentemente, você alcançar suas metas. 

Imagem mais profissional

Entrar em um site com SSL transmite uma imagem muito mais profissional do que aqueles sem o recurso. A maioria dos usuários tem más impressões quando veem os alertas sobre a falta de segurança nos portais. O pensamento de quem entra em um portal com o “https” é que os riscos de ter os dados roubados é significativamente menor. E, de fato, é, já que há camadas extras de proteção com o SSL. 

Segurança para sua empresa 

A proteção de dados é um dos principais assuntos para uma boa reputação das empresas. Grandes corporações que foram vítimas de vazamento de informações sigilosas perderam valor na bolsa de valores e usuários. Mais do que a perda financeira e depreciação da imagem, você enfrentará muitos transtornos para conseguir regularizar a situação. 

Seu site também vai correr bem menos riscos de ficar fora do ar devido a ataques de cibercriminosos, independentemente se ocorrer roubo de informações ou não. Especialmente para quem trabalha com venda on-line, pouco tempo fora do ar pode significar inúmeros prejuízos financeiros. 

Coloque SSL no seu site

Seu site ainda não tem um certificado SSL? Providencie o quanto antes. Você pode adquirí-lo conosco.

E para as outras atividades da sua empresa invista em outros tipos de certificados. Oferecemos e-CNPJ, e-CPF, A1 e A3, em nuvem, mídias criptográficas e com armazenamento na máquina. Saiba mais sobre as vantagens e adquira o que você precisa!

Backup para certificado digital: é possível?

O backup é uma cópia de segurança dos dados guardados em um dispositivo ou armazenados em um sistema. O backup para certificado digital te ajuda a manter o documento seguro. 

Ele só é possível para o certificado do tipo A1, armazenado em máquina. Se o computador for danificado ou perdido, você terá que adquirir um novo certificado. Por isso, é muito importante ter uma cópia.

Neste conteúdo, você vai entender mais como fazer um backup, seus objetivos para certificado digital e quais as outras formas de manter certificados A3 em segurança. Vamos lá?

Onde fica o backup do certificado digital?

Como o certificado A1 pode ser replicado e salvo em mais de um equipamento, sempre utilize senhas complexas (com letras, números e caracteres especiais) para protegê-lo. E lembre-se sempre: sem esta senha, você não conseguirá instalar o certificado digital.

É possível fazer um backup de arquivo e exportá-lo através dos comandos SQL de chave privada, no formato PKCS nº 12 ou PFX. Essas são formas não binárias para armazenar arquivos e suas chaves. 

Como fazer backup de certificado digital A1?

Os backups de certificados A1 são simples de serem realizados. Isso porque esse tipo de arquivo é armazenado no próprio computador.

É aconselhado que o dono dos dados realize uma cópia do documento para caso de formatação ou furto da máquina. Confira três formas de realizar o backup de certificado A1.

Salvar o certificado em dispositivo ou nuvem

Esta é uma maneira rápida e fácil de fazer o backup do seu certificado digital, na hora de baixá-lo no seu computador.

Ao fazer download do arquivo original emitido (extensão .pfx), salve-o em um dispositivo ou em nuvem, como por exemplo, pen drive, conta de e-mail ou drive.

Exportar o certificado pelo navegador

  1. Abra o Google Chrome ou Mozilla e faça o backup do certificado pelo próprio navegador. 
  2. Vá ao canto extremo direito nos três pontos.
  3. Em seguida, acesse “Configurações”. No campo de pesquisa, digite “certificado” e depois selecione “Segurança”. 
  4. Role a página até o final e então clique em “Gerenciar certificados”. 
  5. Logo após, selecione na lista que aparecer o certificado que deseja realizar o backup. 
  6. Clique em “Exportar” e depois em “Avançar”. Tenha certeza de que a caixa “Sim, exportar a chave privada” esteja selecionada.
  7.  Vá ao botão “Avançar” e na tela seguinte, marque o item  “Troca de informações pessoais – PKCS nº 12 (.PFX,.P12)”. 
  8. Selecione as opções: “Incluir todos os certificados no caminho de certificação, se possível” e “Exportar todas as propriedades estendidas”.
  9. Em seguida, selecione “Avançar”, marque a caixa “Senha” e defina qual será ela para acessar o arquivo de backup. 
  10. Lembre-se que é muito importante ser uma senha que você se lembre depois, pois ela será utilizada na instalação do certificado digital após o backup.
  11. Na tela seguinte, clique em “Procurar” e escolha um local para que o backup fique são e salvo. Aqui, você deve escolher um local fora do computador (HD externo, pen drive, nuvem, drive ou conta de e-mail) para que você possa acessá-lo quando quiser.
  12. Depois, digite o nome do arquivo e, em seguida, clique em “Salvar”. 
  13. Após preenchido o “nome do arquivo”, finalize em “Avançar” e depois em “Concluir”.

Exportar pelo repositório do computador

  1. Vá até o Painel de Controle.
  2. Clique em “Opções da internet”, depois em “Conteúdo”, e em “Certificados”.
  3. Selecione o seu certificado digital e clique em “Exportar”.
  4. Agora, clique em “Avançar”. Tenha certeza de que a caixa “Sim, exportar a chave privada” esteja selecionada.
  5.  Vá ao botão “Avançar” e na tela seguinte, marque o item  “Troca de informações pessoais – PKCS nº 12 (.PFX,.P12)”. 
  6. Selecione as opções: “Incluir todos os certificados no caminho de certificação, se possível” e “Exportar todas as propriedades estendidas”.
  7. Em seguida, selecione “Avançar”, marque a caixa “Senha” e defina qual será ela para acessar o arquivo de backup. 
  8. Lembre-se que é muito importante ser uma senha que você se lembre depois, pois ela será utilizada na instalação do certificado digital após o backup.
  9. Na tela seguinte, clique em “Procurar” e escolha um local para que o backup fique são e salvo. Aqui, você deve escolher um local fora do computador (HD externo, pen drive, nuvem, drive ou conta de e-mail) para que você possa acessá-lo quando quiser.
  10. Depois, digite o nome do arquivo e, em seguida, clique em “Salvar”. 
  11. Após preenchido o “nome do arquivo”, finalize em “Avançar” e depois em “Concluir”. 

Utilizando uma das opções acima, seu certificado digital estará em segurança.

Por que é importante fazer backup? 

O backup existe para diminuir a chance de perda de dados, como os arquivos apagados devido a falha humana. Em uma grande corporação não é recomendado passar longos períodos sem backup.

Isso porque, sem eles, muitos dados se tornam irrecuperáveis, e sem esse modelo de segurança podem ser perdidos com facilidade.

É importante incluí-los na rotina de operações dos sistemas para que os backups fiquem ainda mais automatizados para reduzir seu impacto sobre os colaboradores.

Como manter seu certificado digital seguro?

Para proteger o certificado digital, independente do tipo, crie uma senha segura e forte. Ou seja, evite senhas fáceis e comuns, como “1,2,3”. Também lembre-se de deixar a senha do seu certificado armazenada de forma automática no navegador.

Além disso, lembre-se de renovar o seu certificado digital. Afinal, ele não dura para sempre.  Normalmente, os certificados digitais A1 têm validade de 1 ano. Já o modelo A3 é vendido com uma duração de até 3 anos. Mas ambos podem ser facilmente renovados por mais tempo.

Cuidado com as mídias criptográficas 

Para os certificados digitais armazenados em mídias criptográficas, é fundamental cuidado extra com elas, pois não é possível ter um backup desses documentos. Afinal, se o smartcard ou token for perdido, você terá que fazer todo procedimento para emissão do certificado, o que gera gastos com as taxas e investimento de tempo. 

Também existe o perigo de alguém usar o certificado indevidamente. 

Conte conosco para a sua certificação digital

Com o objetivo de oferecer o melhor em solução para nossos clientes, possibilitamos a emissão de certificado digital online em qualquer lugar do mundo. 

Para emitir um certificado digital para sua organização, conte conosco!